PROJETO RODOVIÁRIA

por Claudia Helena Silva Marquezi - publicado - atualizado em

PROJETO RODOVIÁRIA 

 

Há 17 anos, ACIMG pediu mudança da rodoviária. 

 

Por: Claudia Helena Silva Marquezi

Em março de 1998, o comerciante Sebastião de Arruda Neto, o Karburê, à época presidente da ACIMG (Associação Comercial e Industrial de Mogi Guaçu) enviou ofício à Prefeitura sugerindo a mudança de lugar da rodoviária. A proposta era aproveitar que o prazo de concessão de exploração do serviço estava vencendo.

A sugestão era que a rodoviária se mudasse para a área verde do Parque Cidade Nova, próxima ao Furno, sob o argumento de que era próximo à rodovia SP-340, com acesso para Aguaí, Campinas e Espirito Santo do Pinhal. A proposta foi rejeitada pela Administração Municipal, sob a gestão de Walter Caveanha (PTB), coma observação de que não havia interesse de investir no projeto, porém abrindo margem para investimento privado.

Nesta mesma época, a arquiteta Letícia Urbini Arengue havia acabado de concluir os estudos e mostrou projeto de conclusão de curso sobre uma nova rodoviária para Mogi Guaçu. A profissional argumentou que se preocupava com a eficiência do prédio e com a beleza arquitetônica.

 

Leia mais na Gazeta Guaçuana de 31 de agosto de 2013.

Deixe seu comentário

Os comentários publicados abaixo são de total responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião do site.